Dicas & Técnicas de Estudo


Estudos apontam que existe um padrão mental que se repete entre as pessoas de sucesso.


As pessoas que obtém conquistas e vitórias em determinadas áreas, costumam pensar e agir de forma semelhante. E o curioso é que essa forma de pensar, esse modelo mental, está alojado no subconsciente de cada uma dessas pessoas e influencia todas as suas decisões.


Portanto, descubra qual é o seu modelo mental imediatamente, do contrário, você vai continuar obtendo resultados incompatíveis com o seu esforço, dedicação e disciplina. Noutras palavras, vai continuar nadando, nadando e morrendo na praia.


Se no seu subconsciente ter sucesso é sinônimo de ter recursos e ter recursos é sinônimo de “condenação”, pois, é mais fácil um camelo passar no buraco de uma agulha que um rico ir para o céu, como pretende mesmo que sua mente trabalhe para que tudo isso se concretize? Como pretende que todo o seu potencial mental seja despertado se isso, no seu subconsciente, significa se tornar aquilo que sua mãe, pai, tia, avó ou outro personagem importante para você sempre condenou?


Agora, talvez você passe a entender por qual razão você sempre batalhou, sempre se dedicou, mas, no final, terminava “morrendo na praia”, pois, alguma coisa dava errado, uma questão fácil que você quase que cegamente marcava a errada na prova, uma decisão nos negócios que tomou e que depois se perguntou qual a razão de tomar aquela decisão tão estúpida. Tudo isso nada mais é que o seu subconsciente atuando para que as suas “verdades” e medos internos sejam evitados, afastados de você. Seu subconsciente só está te “protegendo”, ou seja, está se guiando pelo modelo mental que se formou no mais profundo da sua mente, durante a sua trajetória até este momento.


Você certamente está se perguntando o que deve fazer?


Mudar imediatamente!




Como? Você deve primeiro descobrir o seu verdadeiro modelo mental. Aquele que está incrustado no seu subconsciente. Então, esqueça por enquanto as suas “verdades” declaradas, essas só têm algum valor se estiverem em harmonia com suas verdades internas.


As verdades internas é que irão determinar quais serão suas escolhas, decisões, caminhos. E se você pensa que o processo de decisão é algo inteiramente consciente, sinto te decepcionar, porém, a parcela do seu consciente que é responsável por esse processo é mínima, pois é justamente o seu modelo mental, constituído por suas verdades internas que irá determinar como você agirá.


Por conseguinte, caso você deseje realmente ser aprovado num concurso público militar em menos tempo e gastando quase zero de dinheiro é necessário que você abandone o seu modelo mental atual, caso ele seja um limitador do seu sucesso.

“Como saberei se meu modelo mental atual me limita ou impulsiona?”

Para isso, responda para si mesmo com o maior grau possível de sinceridade o seguinte:

  • Ter dinheiro, ou mesmo ser rico, é algo que me causa incômodo, mal-estar, inquietude ou algo que me instiga, motiva, faz com que eu me sinta bem?
  • Ter dinheiro para mim é sinônimo de realização e conquistas ou representa condenação, no sentido de que pessoas ricas são egoístas, individualistas, exploradoras e que talvez nunca se elevem espiritualmente?
  • O dinheiro para mim é um mero instrumento que possibilita a satisfação de minhas necessidades, permitindo que eu ofereça dignidade aqueles que amo ou é símbolo da ganância de uma minoria que explora uma maioria?
  • O dinheiro pode me mudar ou ele não é capaz de fazer isso, o que na verdade acontece é que ele atribui às pessoas a coragem e meios necessários para que mostrem efetivamente o que escodem de pior?
  • A polícia é uma instituição repressora e que serve unicamente para maltratar o excluído socialmente ou é uma instituição fiscalizadora e por isso detém a rejeição das pessoas, sejam ricas ou pobres?

Acalme-se, você certamente se identificou em algum momento, é natural, porém, isso não significa que você está condenado ao fracasso de forma irreversível, significa apenas que seu modelo mental é constituído de verdades que se formaram em virtude das experiências pelas quais você já passou. Experiências que ficaram registradas em sua mente inconsciente e que se tornaram sentenças que hoje limitam sua forma de agir. Sentenças que se formaram pelas referências com as quais você conviveu ou escolheu seguir. Enfim, o importante agora é tomar consciência que uma das primeiras providências a partir deste momento, é lutar para que seu modelo mental seja um propulsor e não um limitador, por isso mesmo, irei lhe contar uma importante história.

“Filho de pobre não passa em concurso público”.

O ano era 2001, quando prestei meu primeiro concurso, na época, com 17 anos ainda.

Lembro como se fosse hoje quando fui consultar o resultado e para minha surpresa, eu tinha ficado em 2º lugar. Exatamente, 2º lugar! Minha felicidade foi tão extraordinária, porém, não durou muito, pois, o cargo para o qual eu concorri, só tinha uma vaga. Daí, quando cheguei em casa, com aquele misto de felicidade e decepção e falei para meu pai sobre o ocorrido, ele me respondeu: filho, prestar concurso público é perda de tempo, só passa em concurso filho de rico, melhor não mexer com isso.


Agora imaginem como eu fiquei. Meu pai naquele momento de total fragilidade de minha parte tinha a opção de implantar em mim um espírito esperançoso, resiliente, perseverante, todavia, não foi essa a opção dele. Não, eu não o culpo, afinal, ele conheceu uma administração pública muito diferente desta que conhecemos, cuja qual, apesar de ainda não ser ideal, ao menos possui um instrumento mais democrático de acesso aos cargos públicos que é o concurso, bem diferente da época dele em que os concursos eram a exceção e a peixada a regra. Assim, ele estava apenas querendo me poupar.


Entretanto, aquela sentença lançada por ele foi parar direto no meu subconsciente, passando a constituir uma verdade dominante, uma vez que aquela experiência foi muito marcante para mim, além disso, todas as demais vezes que eu reprovei, ele fez questão de reafirmar a conclusão dele sobre o apadrinhamento em concursos públicos.


Veja, isso é ao que se pode chamar de crença limitante, ou seja, trata-se de uma sentença que tomamos como verdade e que muitas vezes pode ficar registrada em nosso subconsciente ou mesmo em nosso consciente e que de alguma forma funciona como barreira limitadora no processo de tomada ou execução de uma decisão, projeto, meta, objetivo etc.


As crenças limitantes, portanto, são sentenças que de forma consciente ou inconsciente, terminam por determinar qual será nossa postura diante desta ou daquela circunstância.

E infelizmente nosso modelo mental está repleto de crenças limitantes e enquanto não tomarmos consciência disso, continuaremos sendo dominados por essas crenças.



A mudança...


O primeiro passo para mudar algo é reconhecer essa necessidade. Daí, pergunto-lhe: você acredita sinceramente que seu modelo mental hoje é voltado para o sucesso e prosperidade, estando livre de crenças limitantes ou é como o da maioria das pessoas, dominado por crenças que sufocam o processo de crescimento e desenvolvimento?


Premissas...


Saiba você que meu propósito aqui é apenas demonstrar o quanto nossa mente pode ser mais produtiva e eficiente se adotarmos os modelos certos para tanto.


Por isso mesmo devo perguntar: quando alguém lhe mostra um mapa do Brasil, aquela figura desenhada é o território nacional ou uma mera representação dele?


Exatamente aí está o grande segredo, a grande virada no seu modelo mental a partir de agora.


Entenda o seguinte: todas as verdades que nós temos incrustradas na mente, são meras representações da realidade, são construções que fizemos com base nas verdades que já tínhamos depositadas em nosso subconsciente, logo, muitas das crenças limitantes que alimentamos dia após dia, apenas carecem de uma releitura ou de um processo de ressignificação, justamente para que deixem de nos limitar e nos impulsionem. Como assim? Explico!


No meu caso, de forma complemente inconsciente, quando meu pai dizia “só passa em concurso filho de rico”, eu realizava um processo de ressignificação daquelas palavras, transformando aquela sentença em positiva. Ao invés de acreditar cegamente, eu buscava confrontar aquela sentença com a realidade. Ora, eu mesmo já tinha visto pessoas reconhecidamente pobres, sendo aprovadas, já tinha visto pessoas reconhecidamente “ricas” (ao menos para a minha realidade), sendo reprovadas em concursos mais cobiçados. Daí concluí que não era só filho de rico que passava em concurso, obviamente se a pessoa é rica, terá melhores condições, na verdade, meu pai estava certo em termos, pois o que ele dizia significava que caso eu quisesse ser aprovado, teria que me esforçar duas, três, quatro vezes mais que as pessoas que tinham recursos. Concordasse eu, achasse justo ou não. E foi o que eu sempre fiz, pois, algo dentro de mim dizia que a Vida tinha projetos excepcionais para mim, vitórias incríveis e desde que eu me esforçasse, fosse disciplinado, organizado e persistente, uma hora chegaria minha vez, afinal, o homem pode ser injusto, porém, o Criador de todas as coisas, não. Desta forma, a invés de agir como uma criança inocente e acreditar naquela sentença, transformando aquilo em uma crença limitante, a representação que fiz foi completamente inesperada e contrária, pois, ao invés de vítima indefesa da minha própria história, algo dentro de mim me instigou a me tornar protagonista da minha vida. Claro, esse processo foi muito lento, doloroso, tortuoso, cheio de quedas, recomeços, acertos e erros, justamente pelo fato de não ter contado com alguém que pudesse me orientar como estou fazendo com você agora.


Exercícios


Agora você precisa colocar tudo o que aprendeu em prática. Para tanto, pegue uma folha e liste 50 crenças que você alimenta. Depois, olhe com olhar crítico para elas e quando a crença representar de alguma forma um limitador para a realização de suas metas e objetivos, você fará a confrontação dela com a realidade, busque os prós e contras, avalie por qual razão você considera aquela, uma crença limitante, pergunte-se: é assim mesmo que acontece sempre ou existem exceções? Alguém já fez diferente? O que as pessoas que já fizeram tinham em comum?


Conclusão


Portanto, o modelo mental é determinante para a conquista de objetivos e metas. As crenças que possuímos podem nos impulsionar ou limitar. Ambas são meras representações da realidade, logo, podem passar por um processo de ressignificação, tornando-se molas propulsoras, como mostrei para você quando citei minha experiência. Por fim, o modelo mental de um campeão é aquele que está livre da ação de crenças limitantes e é direcionado a busca constante de resultados, sendo adepto da disciplina, organização e comprometimento com suas metas, objetivos e sonhos.



Voltar ao topo